Dúvidas Frequentes

Doenças Específicas

Posso resolver meu problema de hérnia de disco sem cirurgia?

Estudos mostram que a avaliação do Método McKenzie (MDT) é capaz de identificar quais deslocamentos discais (protusões, hérnias de disco) podem ser revertidos mecanicamente, sem a necessidade de cirurgia. Portanto uma avaliação com um profissional treinado em MDT deve ser considerada antes da opção pela cirurgia. Fisioterapeutas certificados: www.mckenzie.org.br

A grande maioria dos pacientes, mais de 90%, com hérnia de disco pode se recuperar bem sem intervenção cirúrgica. Com tratamento conservador adequado, as chances de sucesso podem ser maiores e o tempo de recuperação menor.
Porém, alguns casos mais graves de compressão da medula e/ou de nervos da região lombossacra, ou em condições de piora sintomática e neurológica progressiva, a cirurgia pode ser necessária.

É sempre bom consultar um especialista em terapia mecânica (MDT) ao aparecerem os primeiros sintomas na região da coluna. Agir o quanto antes, para evitar exames e tratamentos desnecessários (mais longos, dolorosos e invasivos).

Osteoporose causa dor?

Osteoporose é uma doença metabólica, silenciosa, que geralmente não causa nenhum sintoma, a não ser que haja fratura. Ainda assim, boa parcela das fraturas por osteoporose são assintomáticas (não causam dor), restando como queixa apenas a diminuição da altura corporal e presença de deformidade (corcunda) acentuada.

Existe tratamento para a osteoporose?

O melhor tratamento para a osteoporose é a prevenção para que ela não apareça e para que não progrida. Para isso é necessário um conjunto de ações universais que incluem exercícios com estresse e carga, nutrição adequada com ingestão de cálcio e vitamina D, tomar uns 15 minutos diários de sol (evitar período entre 10 -16h). Outras ações também podem ser necessárias, mas são específicas para cada caso, consulte o seu médico.

Tratamento

Método McKenzie (MDT) – Você Sabia?

– Pesquisas mostram que a avaliação McKenzie é tão confiável quanto tomografias e ressonâncias magnéticas para determinar a origem da dor do paciente e ainda é capaz de verificar o potencial de recuperação da lesão, mas somente quando realizada por um fisioterapeuta devidamente treinado em MDT – profissionais certificados www.mckenzie.org.br/certificados/certificados.asp

  • Muitos problemas músculo-esqueléticos podem ser rapidamente revertidos se forem devidamente avaliados.
  • 70% das pessoas com dor lombar aguda e 50% das com dor lombar crônica, associada à dor nas pernas melhoram rapidamente com o tratamento adequado.
  • Os respondedores rápidos geralmente incluem pacientes que não tenham se beneficiado de outros tratamentos. Eles podem ser identificados em 1 a 3 visitas.
  • A avaliação do MDT é segura, pois primeiramente exclui indícios de afecções graves da coluna vertebral.
  • O MDT não visa apenas à solução dos problemas atuais, mas também a prevenção em longo prazo das reincidências.
  • O Método McKenzie (MDT) é o sistema de avaliação e tratamento mais pesquisado na fisioterapia.

2. Quais são as vantagens do Método McKenzie de Diagnóstico e Terapia Mecânica (MDT)?

  • Método biopsicossocial – visa o envolvimento ativo do paciente, ao educá-lo, estimulá-lo e capacitá-lo com estratégias de enfrentamento para problemas atuais e futuros;
  • Avaliação clínica segura e de baixa tecnologia;
  • Pode ser aplicado em qualquer estágio (agudo, subagudo e crônico) de problemas músculo-esqueléticos – coluna, articulações, músculos, tendões, etc.;
  • Permite identificar os pacientes respondedores e não respondedores ao tratamento mecânico – evitando desperdício de tempo e dinheiro em exames desnecessários e tratamento inadequado e/ou cirurgias;
  • Identifica pacientes que podem ser orientados a se tornar independentes e aqueles que necessitarão de técnicas manuais (apenas cerca de 30% dos pacientes necessitam de técnicas do terapeuta);
  • Possui estratégias para diminuir as reincidências e gravidade dos problemas futuros;
  • Assegura que o paciente receba um tratamento com melhor custo-benefício.
  • Atua em todos os níveis de atenção à saúde prevenção, tratamento e recuperação funcional.

2. As agulhas de Acupuntura podem transmitir doenças?

Com o uso de agulhas descartáveis não há chance de transmissão de doenças. A normatização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) determina que a Acupuntura seja realizada, exclusivamente, com material descartável. Portanto as agulhas nunca devem ser reaproveitadas, nem no mesmo paciente para prevenir qualquer chance de contaminação. Pois, se forem reutilizadas podem transmitir doenças como hepatites, meningites, mastoidites, etc.

3. Acupuntura pode gerar complicações? As complicações pela Acupuntura podem ser geradas em quais casos?

Se a Acupuntura for praticada por profissional qualificado é totalmente segura, porém se for aplicada indevidamente ela pode ser extremamente danosa. Existem relatos de complicações variadas: desmaios, lesões nervosas, infecções (auricular, sistema nervoso), hemotórax (sangramento no tórax), etc.

A maioria das complicações está ligada ao despreparo para diagnosticar, tratar doenças e executar uma técnica invasiva. É muito importante escolher com critério o profissional que vai cuidar da sua saúde.

Gerais

1. Qual a causa mais comum de dor nas costas?

A dor mecânica, causada por problemas em partes móveis, é a causa da maioria das dores na coluna.

Deslocamentos internos no disco intervertebral têm sido apontados como a principal causa das dores na coluna, e por ser o “eixo” de movimento pode levar a travamento, rigidez, e dores que pioram e/ou melhoram com determinadas posições ou movimentos. É uma característica comum a não consistência dos sintomas, que podem variar de intensidade, localização (dor “andar”), de acordo com o período do dia. Esse problema muitas vezes se mostra variável, incomodando em algumas situações e atrapalhando as atividades diárias.

2. Como dores na(s) perna(s) ou braço(s) podem ter origem na minha coluna?

O sistema nervoso é todo conectado, os nervos vão desde a cabeça até os dedos dos pés. Muitas informações sobem para o cérebro por uma mesma via, daí às vezes se torna difícil e confuso para o cérebro interpretar de onde exatamente vem o problema. Ele pode referir a dor a outro lugar, como por exemplo, em um ataque cardíaco em que a dor pode ser sentida no braço e não diretamente no coração.

Em problemas de coluna esse tipo de sintoma, longe da origem, é muito comum – dores em regiões das pernas, pés, braços e mãos. É dever do médico e/ou fisioterapeuta fazer uma avaliação clínica exploratória, pois em muitas vezes a ligação das dores não é óbvia.

Além disso, quando existe compressão da raiz nervosa (raízes nervosas formam os nervos) a dor pode ser sentida em todo o trajeto de um nervo periférico, dor irradiada. Exemplo disso é a dor ciática.

3. Por que continuo sentindo dor se meus exames de imagem estão “normais”?

Em geral, os exames de imagem têm capacidade limitada em detectar a causa de dor lombar não específica, não relacionada com causas graves, devido a insuficiente sensibilidade dos exames disponíveis. Torna-se difícil identificar a estrutura exata geradora da dor. Alguns motivos são: exames realizados sem carga (paciente deitado); alta prevalência de variação anatômica da coluna; e principalmente devido à avaliação clínica mal realizada e não correlação da clínica com a imagem.

É comum encontrar indivíduos com muita dor e pouca alteração no exame de imagem e encontrar alterações nas imagens de indivíduos sem dor – como mostram alguns estudos científicos. A probabilidade de um caso particular de dor lombar ter sua causa identificada em radiografia é menor que 1%. O Método McKenzie tem se mostrado capaz de identificar dor discogênica, causada por distúrbios no disco intervertebral.

4. Devo procurar um especialista de coluna por causa da minha dor lombar?

Você deve procurar um especialista se estiver sentindo dores intensas na perna, acompanhadas ou não de fraqueza, dormência ou agulhadas nos pés e ou nos dedos dos pés; se possui histórico recente de cirurgia, acidente ou câncer; se juntamente com a dor lombar aparecer algum tipo de incontinência.

É aconselhável consultar um especialista ao aparecerem os primeiros sintomas na região da coluna ou pernas. Agir o quanto antes, a fim de evitar sintomas persistentes, tratamentos longos, dolorosos e invasivos.

5. Devo procurar um especialista de coluna por causa do meu problema no pescoço (cervical)?

Você deve procurar um médico ou fisioterapeuta se sentir dores no braço ou mão acompanhadas ou não de sensações de agulhadas e dormência nos dedos e/ou de perda de força; se os problemas no pescoço surgiram após acidente ou cirurgia recente; se estiver com dores de cabeça intensas que não cessam e estão piorando ou sendo acompanhadas de náusea e tonteira.

É importante consultar um especialista ao aparecerem os primeiros sintomas na região do pescoço ou braços. Agir o quanto antes, a fim de evitar sintomas persistentes, tratamentos longos, dolorosos e invasivos.

6. Como posso suspeitar que tenha algo grave na coluna?

Bandeiras vermelhas (sinais de problema grave) que devem ser consideradas: redução de força nos membros (mãos, pés, pernas, etc.); dor intensa que piora a noite; dor que não melhora com posição ou medicamento; quando houver dificuldade para urinar ou defecar; alteração na forma de andar; dor constante e que está aumentando progressivamente; se sofreu algum acidente recente; apresenta fadiga e febre; se está perdendo peso sem razão.

Se você apresenta alguma(s) dessas características deve procurar um médico imediatamente. Você precisa ser avaliado com critério!

7. Quando eu devo considerar a opção de fazer uma cirurgia?

Apenas 5 -10% dos pacientes que sofrem com dor nas costas se beneficiam de cirurgia. O quadro tem de ser bem avaliado, mas geralmente essas pessoas apresentam tumores, deformidades graves, fraturas, infecções ou então piora progressiva das dores e dos sintomas neurológicos que não apresentam melhora com o tratamento conservador, e se mostram intensos.

É sempre bom ouvir uma segunda opinião de especialista e ainda deve-se atentar a algumas coisas como se o tratamento conservador foi adequado para o problema? O diagnóstico foi confirmado? As dores estão realmente interferindo na sua qualidade de vida? Existem fatores emocionais a interferir na decisão cirúrgica?

Estudos mostram que a avaliação do Método McKenzie é capaz de identificar quais deslocamentos discais (protusões, hérnias de disco) podem ser revertidos mecanicamente, sem a necessidade de cirurgia. Portanto uma avaliação com um profissional treinado no Método deve ser considerada antes da opção pela cirurgia. Fisioterapeutas certificados: www.mckenzie.org.br

8. A Ressonância Magnética consegue diagnosticar qualquer problema na coluna?

Esse exame de imagem de alta resolução permite a descoberta de uma variedade de alterações morfológicas e biológicas em pacientes com dor na coluna e ainda consegue identificar muitos problemas graves e específicos da coluna. Porém os valores significativos desses achados são muitas vezes incertos, Beattie et al., 2000 encontrou muitas variações no disco lombar e no canal radicular tanto em indivíduos sintomáticos quanto em assintomáticos. Portanto, todo diagnóstico deve ser consistente e levar em conta a associação de história clínica, testes físico-funcionais e a imagem.